quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Mais uns passinhos rumo ao diagnóstico certo!

Voltando à longa novela do meu diagnóstico... 
Depois de sair da segunda internação, quando fiquei no hospital por 21 dias, estava todo mundo muito feliz e contente. Afinal, eu não tinha câncer e estava só tomando antibiótico via oral. Mas... eu não estava tão feliz e contente... não estava certa daquele diagnóstico. Além disso, o infectologista alertou para o risco de, parando de tomar o antibiótico endovenoso, a massa que eu tinha no pulmão e mediastino voltar a crescer. 
Passei duas semanas normais. Quase... Na segunda semana, estava sozinha em casa e me senti mal. Não sei explicar direito o que senti, mas perdi a visão por alguns instantes e depois fiquei meio tonta. Meu pai saiu de Piracicaba e foi para São Paulo me buscar, para eu não ficar sozinha. Chegando em Pira, percebi que meu braço (o da trombose) estava inchado de novo... Ai, ai, ai... ligamos para o vascular, fomos na farmácia, tomei Clexane e tive que fazer mais exames. Foi uma confusão só, voltei para São Paulo no dia seguinte, mas... para resumir: eu retrombosei. Tive outra trombose, porque meu nível de coagulação não estava no ideal. Um dos exames que fiz foi uma tomografia, para saber se a massa tinha voltado a crescer e isso tinha causado essa nova trombose (praticamente no mesmo lugar da primeira). O resultado deveria sair às 16h30 na internet, mas sempre sai um pouco antes. Eram 17h e nada de sair. Aí o Marcelo me liga dizendo que o infectologista ligou para ele e pediu para a gente ir até lá. Pronto! Já sabia que boa notícia não era!!!
Na consulta, ele disse que a massa tinha crescido. Na opinião dele, deveria abrir e tirar (uma baita operação!). Mas ele queria uma segunda opinião, de um pneumologista, além de conversar com o cirurgião toráxico antes. Eu já deveria dormir no hospital. Sabia...
Volta toda a família correndo para São Paulo. Dai-me paciência!!!!!!!!!!!!!!!! Reverte o efeito da varfarina de novo. Depois de longas discussões entre os médicos sobre o que deveria ser feito, a decisão foi fazer uma biópsia a céu aberto. O que isso significa? Uma biópsia maior do que as feitas anteriormente, mais precisa. Por que ela não tinha sido feita antes? Para não fazer cicatrizes à toa na minha pobre pessoa! Todos acharam que, se pudéssemos evitar uma cicatriz descobrindo o que eu tinha com uma biópsia por punção, por que não? Eu concordo, acho que foi certo. Mas agora teríamos que desbravar esse terreno...
Dia seguinte: cirurgia. Pós-operatório: caos! Passei mal por uns 4 dias. Disseram que foi o Tramal. Nem sei pra quê ele serve. Acho que para dor rsrsrsr... Desculpem contar isso, mas vomitei durante 4 dias... O Marcelo, que sempre teve nojo dessas coisas, teve que mudar de idéia kkkk....
Esse post já está ficando muito grande, né? Termino amanhã!





4 comentários:

  1. Helô do céu!!! Novela mesmo...mas passa, né? Queria te falar pra ler o blog que a Marcia Cabrita fez na época do câncer dela, chama Força na peruca, é muito divertido! Ela não posta mais, mas eu li do primeiro ao ultimo post numa sentada. Ela fala muito sobre como tudo dá câncer e depois não dá, kkkkk dá realmente pra gente enlouquecer, né? Mas eu acredito no tripé: Fé, alimentação e tratamento sabe...eu li o anticâncer, fiquei psica, resolvi dar um tempo pra minha cabeça, pq ouvi da maioria dos oncos que não era nada comprovado. Acho que ser feliz é o melhor remédio! Deus te proteja amanhã...bom se ajudar eu tomava Kytril para enjôos, chupava gelo e tomava chá de gengibre(pode ser gelado) bjkas Fer Niero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk, a gente fica doida, né? Acho que o certo é ter moderação e ser feliz, como vc disse!!!
      Vou dar uma olhada no blog dela!
      Bjsss, obrigada!!!
      Helô

      Excluir
  2. Helô, muita sorte amanhã. Continuo rezando por vc.
    Beijão
    neide

    ResponderExcluir